O que fazer com as cascas e restos de frutas e verduras quando se mora em um apartamento compacto sem varanda ou área de serviço, isto é, sem espaço para fazer compostagem em casa? Quando nos mudamos para o micro-apartamento onde moramos atualmente, busquei uma solução para o descarte de lixo orgânico. Participei de um workshop sobre o assunto e pesquisei opções na internet, mas não obtive sucesso. Realmente não temos espaço para uma composteira convencional. Além disso, não teríamos quem cuidasse das minhocas durante viagens mais longas caso optássemos por um minhocário.

Minimizei o problema ao começar a fazer caldo de vegetais com cascas e aparas não-comestíveis, inspirada por este post do blog La Cucinetta. Apesar de dar sobrevida a algo que iria diretamente para o lixo, ainda não estava satisfeita. Ficava imaginando como seria bom viver em San Francisco, na California, onde residências e estabelecimentos comerciais são obrigados por lei a separar o lixo orgânico do reciclável, ambos coletados pela prefeitura, ou no bairro de Islington, no norte de Londres, onde a sub-prefeitura oferece aos residentes a coleta de lixo orgânico. Aqui em Washington DC, não há nenhum programa governamental parecido com os casos acima.

Há mais de um ano, felizmente, temos a sorte de contar com a iniciativa privada para preencher a lacuna deixada pelo governo. A micro-empresa Compost Cab oferece dois tipos de serviço: coleta semanal de material compostável em residências (daí o nome dado à empresa), ao custo de $8 por semana, ou um posto de coleta no farmers market de Dupont Circle, para onde as pessoas podem levar seu material compostável e depositá-lo na caçamba do “taxi da compostagem”, ao custo de $2 por entrega.

Como frequentamos o farmers market de Dupont Circle todos os domingos, usamos o posto de coleta por lá. Temos na cozinha uma lata de metal com filtro, onde armazenamos os restos de comida durante a semana. Sim, dá um pouco mais de trabalho do que jogar tudo na lixeira convencional, mas já incorporamos a separação do lixo orgânico à nossa rotina e o esquema tem funcionado muito bem. Os clientes da Compost Cab que optam pela coleta em casa recebem um espécie de balde hermético para armazenar o lixo até o dia em que o “táxi” passa pelo bairro.

Jeremy Brosowsky, o fundador da Compost Cab, e seu “táxi” no farmers market de Dupont Circle. Foto de Alex Brandon, AP.

Muita gente me pergunta se eu não acho um absurdo pagar para que cuidem do meu “lixo”. Honestamente, acho que o serviço deveria ser oferecido pela prefeitura. Como isso não acontece, pago a taxa da Compost Cab com prazer. E o que a micro-empresa faz com tanto material compostável? A Compost Cab faz somente o que seu nome sugere: transporta o lixo orgânico, que é doado para fazendas urbanas da região metropolitana de Washington DC.

Anúncios